quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

adj. e s.m.

Intruso: que ou quem se introduz em alguma parte sem ter qualidade para tanto.
Metido, intrometido.
Pop. Penetra.

As faixas de pedestres são linhas paralelas que servem de tráfego para pessoas que vão em direção perpendicular as mesmas. Entretanto, a relação entre faixa e pedestre não é tão amistosa quanto podem pensar os ingênuos. Um dia um um pedestre ouve a faixa resmungar:
 - Intruso, como ousa me atravessar? Como ousa passar sobre mim? Como ousa interferir na minha perfeição? Ah intruso, como pode você me desrespeitar dessa forma? Minha constituição não foi feita para você pisar. Você me usa como proteção, mas não devo proteger você.
E o pedestre respondeu:

- O que você tanto resmunga faixa? Você reclama que te uso, mas o que seria de você sem minha existência? Que serventia você teria? Para que teria te criado? Você foi feita para me servir e me agradeça.
A faixa revoltada respondeu de sobressalto:

- Ah! Que ousadia a sua, existem bilhões de seres vivos na Terra e você acha que só dependo de você? Pois o que seria de vocês seres humanos sem o meu raciocínio de organização? Vários de vocês morreriam atropelados. Vocês são intrusos, pragas, que adentram um espaço limpo e o sujam. Vocês são seres arrogantes e egocêntricos. Lamento que minhas belas listras brancas sejam trafegadas por vocês que manipulam e matam por prazer. E vocês ainda se dizem melhores! Vocês dão nome a tudo na intenção de superar seu próprio raciocínio e sua própria capacidade. Vocês realmente se acham superiores por isso? 
O pedestre que contestou a faixa foi embora resmungando e xingando, deixando a faixa para trás.E ao chegar em outra avenida, tomado pela preguiça de atravessar na faixa distante, arriscou-se na travessia muda e, de um súbito foi atropelado. Morreu deixando a vida para trás, da mesma forma que fez com a inquiridora faixa.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Tempestade solar

Amo o sol.
Pelo simples fato de ter luz própria.

As vezes o sol supri a ausência de luz em minha alma.
Hoje, como estou iluminada de alegria, 
satisfação,
desejos,
vontades,
amores,
nossa fusão se transforma em uma incrível tempestade solar.
Onde mais de 5 milhões de toneladas de energia serão geradas
e nosso magnetismo faz com que chova sóis para todos...

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Descuido

O momento efusivo de não ver, não pensar no erro,
Acho que essa era a horinha de descuido.
Quero o descuido eterno.
Quero saber que estou descuidado a todo momento.

Não cuide de mim, eu descuido de mim.
Estou descuidado,  estou cuidando de você.
Agora sim, estamos felizes, realizados.

Estamos todos descuidados.


"Felicidade se acha é em horinhas de descuido..."(Guimarães Rosa)



terça-feira, 6 de novembro de 2012

Dragões ameaçadores

Um dia, em frente a um abismo pensei em me jogar. Olhei para baixo e vi um dragão que ao invés de soltar fogo, soltou pó colorido, um pó lindo, convidativo. O couro do dragão parecia macio, me lembrou nuvens. Pensei o quanto seria fácil me jogar no abismo e agarrar o dragão lindo.
Entendi que o Dragão estava me convidando para ir atrás do pó, da beleza e da facilidade de um voo.
Então parei e refleti:
Se tem um dragão tão bonito que solta pó colorido e bonito lá embaixo, deve ter vários dragões aqui em cima lançando pó colorido, aguá fria e que tem um couro macio como veludo, posso pegar neles e posso voar também. Vai que esse dragão se torna meu amigo e me faz pular obstáculos na hora da corrida amanhã?
Então decidi, dei as costas para o abismo e sai a procura de dragões coloridos.



ps: Para Ed.

domingo, 28 de outubro de 2012

De seis em seis horas

É angustiante a sensação de perda. Perda de tudo. Você perde a vontade, a felicidade, parece perder a vida.
Mas é assim mesmo, assim funciona o sistema vital, de perdas. No concreto você continua perdendo, perde a fé, esperança, vontade, amor.
Tudo é como uma maresia. De seis em seis horas a maré enche e seca, acontecendo o mesmo movimento ida-volta duas vezes ao dia. A possibilidade de você se manter estável em meio ao movimento fica cada vez mais difícil e desesperador. Até que você entende o movimento marítimo, no entanto, você já quase se afogou, engoliu água salgada e já teve que nadar muito para se manter no raso.
Enfim, você consegue se adequar ao movimento, mas está exausto, cansado, tonto, e sem olhar para trás, sai da água. Esse momento, é o momento da morte.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Vivatemp

Tempo, tempo
A palavra do poeta.
Só há um esquecimento...
Que o dia em que se sente vivo
O tempo não precisa passar.
Quando a vivacidade surge,
A felicidade passa a ter uma senha.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Buraco negro

Implodimos nossa estrela, que estava dentro dos nossos peitos.
Nos tornamos um buraco negro. Não engolimos energia, engolimos nossa dor.
As estrelas distantes torcem por nós, os girassóis não olham mais para o sol, nosso brilho é maior. Acorde de manhã e veja que eles estarão olhando na nossa direção. Eles nos perseguem, nos invejam.
Somos um buraco negro, nós estamos engolindo nossa dor.
Todos torcem por nós.
Vamos viver nossa energia.
Somos um buraco negro de energia.
Engolimos nossa dor.
Vamos voltar a ser uma estrela, uma constelação.
Só assim, faremos milhões de buracos negros.
Seja enquanto puder o meu buraco negro. Vamos implodir nossa dor.





ps: Para (L)

domingo, 23 de setembro de 2012

Ao retorno da inquisição

A inquisição perseguiu pessoas pelos seus dotes medicinais.
Hoje as bruxas são diferentes.
Peço o retorno da inquisição, mesmo que não seja mais na sua essência.
A inquisição certa, que persegue pessoas frias e maldosas.
A inquisição que persegue as pessoas ladras de alma.
A inquisição que persegue médicos do mal, aqueles que costuram seu coração sem anestesia.
Costura mal feita, que infecciona.
Que a inquisição não persiga pessoas fiéis, fiéis aos sentimentos.
Que a inquisição não persiga pessoas boas consigo e com os outros.
Que a inquisiçãorespeite inteligências
Peço que volte a inquisição, a verdadeira inquisição.
Não a inquisição carregada de religião cheia de coliformes fecais.
A inquisição que respeita o merecimento. O merecimento de uma vida feliz.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O que é o que é?

Os quatro principais amigos que nunca aparecem rapidamente.
O mais ao norte, em maior quantidade.
Tem o leste, que vale menos.
O ao sul, que é 1/2.
E o último a oeste, que é a esperança que valem 3/4.
Mudamos mais rápido que nossos quatro amigos.
Ou as vezes, eles aparentam inimizade.
Não importa se são como melancias, ou velhos,ou até mesmo cor de rosa com forma de urso.
Eles são dolorosos.

Eles tem patrões.
Um mais alto, que marca a eternidade, parece sofrer da ausência da esperança, não tem pressa, mas porque não tem esperança.
O menor, baixo, porém mais arrogante, porque é essencial. Carrega nossa esperança.
E normalmente um vermelho, com mais pressa, que parece nos entender mais,ele parece sofrer com o comando, com a pressa.
No entanto, com os passeios dos nossos amigos, aprendemos com eles, a nunca fazer o mesmo caminho todos os dias, na verdade, nunca fazer o mesmo caminho todos os dias sem sair do lugar.

domingo, 2 de setembro de 2012

Corizas vitais

Na minha  infância tive chulé, piolho e coriza escorria das minhas narinas. Se minha mãe não limpasse a tempo, ainda sentiria a coriza em minha boca.
Mas hoje tenho uma coisa que você não tem.
Consciência de que fui uma criança assim.
Tenho a vantagem de não ter mais chulé, nem piolho e muito menos qualquer tipo de coriza.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Bagolele de um passado

Vi uma criança, uma criança com os braços abertos,
correndo e cantando cirandas ou bagoleles.
Ela correu ao encontro de outras crianças que declamavam.
Declamavam cirandas.
Vi uma criança nadar, nadava cheirando a água, cheirava como se fossem rosas,
ou alho.
Ela nadou ao encontro da areia grossa com cheiro de rosas.
Vi uma criança chorar, olhos cheios d'água com cheiro de sal, ou com cheiro de açúcar.
Chorava como que quisesse encontrar o doce.
Hoje, vi uma criança no espelho, ela corria, nadava e chorava ao encontro do nada,
com gosto de sangue, ou de pele.
Essa criança corria, nadava e chorava como se quisesse encontrar o sangue.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

domingo, 5 de agosto de 2012

Sem ritmo


         Passos desconexos me levam a um lado e outro, pisando nos meus pés. Minha maior felicidade é sentir o peso do seu corpo nas pontas dos meus pés. Pise nos meus pés, eu caminho pela sua vida.

ps: Para (L)

Decolagem






Quem tem tempo a perder passando sua alma para um papel é a mesma pessoa que tem tempo a ganhar vendo palavras voadoras com alma.

terça-feira, 31 de julho de 2012

Grande como uma minhoca

As pessoas grandes não veem.
As pessoas grandes não ouvem.
As pessoas grandes não sentem.
As pessoas grandes não pensam.
As pessoas grandes não falam.
As pessoas grandes não tem perspectivas.
As pessoas grandes falam de mim.
Com o intuito de me fazerem iguais a elas.

terça-feira, 24 de julho de 2012

OUT

Eu não quero saber o seu nome, nem o seu endereço, ou seu telefone. De que me importa quem são seus pais ou o que eles fazem? De que me importa se você é MPB, rock'n roll , ou reggae ? Tanto faz se você é soprano ou contralto, ou porra nenhuma! De que me importa se seu olhar é expressivo ou in-expressivo? De que me importa saber quem é você? Não sei nem quem sou eu.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

.

Maurício de Almeida com suas palavras escritas e mesmo assim ensurdecedoras.
A leitura é uma prisão.
Drummond.
Erasmo.
Maurício de Almeida.
Se constrói um personagem único, com mesmo rosto e jeito, apenas com roupas diferentes para histórias diferentes.
A imaginação é uma prisão.
A leitura é uma prisão.
Seus olhos correm no papel ensurdecedor de Le Goff e Quintana.
Fuga de seus mundos.
A leitura é uma prisão.
Imagens.
De um lado livros, do outro o incenso, que ecoa o cheiro de droga dentro de quatro paredes.
Não é infelicidade.É prisão.
Do outro lado, mais próximo, os equipamentos eletrônicos gritam por uso, mas são esquecidos pouco a pouco.
É a busca pela leitura contínua, Saint- Exupéry, Machado de Assis, Kafka.
236 páginas em um dia.
Sempre mais.
A leitura é uma prisão.
As cores da vida são anestésicas.
Fuga.
O carro cinza, o quadro branco, a camisa bege, o livro multicolor.
Marsílio de Pádua no século XII e eu no século XXI.
A leitura é uma prisão.
Os sons se perdem.
A melodia da 96fm, Zeca Baleiro e sua voz baixa e irônica. Prefiro o som das páginas rodando e girando e sofrendo.
A leitura é uma prisão.
Não acabou. 
Ela me prendeu no mundo que sempre desejei, me achando no todo e me perdendo de tudo.
A vida é uma prisão.
Me libertei com um ponto final.

domingo, 1 de julho de 2012

|O_

Há tempos já não se espera nada.
Nada de vírgulas.
Nada de pontos.
Nada de exclamações ou interrogações.
Na verdade não se espera nada.
Nada de verdades.
Nada de contestações.
Nada de nada.
!Perdi tempo!
Vou nadar.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Atitude e palavras

O título até parece clichê, porém pensemos.
Atitudes são tidas como mais importante que as palavras.
A pessoa age, o gatinho age e o cachorrinho age.

Palavras são tidas como inválidas.
Mas se houver não fala, o gatinho não mia e o cachorrinho não late, você reclama.

Mas ser-humano, não fale.

terça-feira, 26 de junho de 2012

A plenitude da esperança parece uma tempestade marítima, quando você vê ja está na beira da praia, perdido, com 5 litros de água e sal no cérebro, quando percebe que acabou de sair de uma tempestade.
:P

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Demorou, mas chegou e depois foi.

sinaleiro
Verde
11
24
amor
flores
café
Phoebe
Aimê
gatos
músicas
promessas.
Amarelo
flores
amor
noites
dúvidas
quilometragem
tempo
medo
solidão
presença
ausência
falta da ausência
promessas
Vermelho...
amor
LIMITE

Psicanálise responde.

Acho que minhas necessidades básicas para existência nunca serão saciadas.
Estou com medo de me tornar psicopata.


Para colegas da faculdade

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Paralelepípedos

Acho que perdi.
O caminho de volta para casa.
Não volto mais.
Não respiro mais.
Não choro mais.
Apenas perdi o caminho de volta para casa.
Estrada dura e longa.
Esse não é o caminho de volta para casa.
Por favor, não me busquem.
Não quero voltar para casa.
Quero me perder da casa mundana que nunca tive.
Esse não é o caminho de volta para casa.

domingo, 17 de junho de 2012

T 3 W |> O

tic-tac          tic-tac          tic-tac        tic-tac         tic-tac         tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac
tic-tac          tic-tac          tic-tac        tic-tac         tic-tac         tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac        tic-tac                            tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac     
tic-tac          tic-tac          tic-tac                          WoЯt3                            tic-tac          tic-tac          tic-tac
tic-tac          tic-tac          tic-tac        tic-tac                            tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac
tic-tac          tic-tac          tic-tac        tic-tac         tic-tac         tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac
tic-tac          tic-tac          tic-tac        tic-tac         tic-tac         tic-tac          tic-tac          tic-tac          tic-tac  

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Frações mistas.

Depois de anos descobri como funcionam as frações mistas.
Isso me pareceu interessante.
É perceptível que se passaram anos, meses, dias, horas, minutos, segundos e milésimos de segundo, e etc e eu continuo sem saber nada. Apenas o que são as frações mistas.
Aprendi o que são frações mistas porque tudo é um grande bolo de frações mistas.
Você acredita no inteiro,mas o que existe são porções do inteiro.
Existem frações mistas.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Porque poesia não é inspiração

Folha de outono...
Não, muito clichê.
O amor...
Não, muito clichê.
O mar...
Não, muito clichê.
A saudade, a espera, a esperança...
Não, não, não muito clichê.
Quer saber, acho melhor esperar a inspiração!




domingo, 10 de junho de 2012

+++++++++++++++++++++++++++++


Pela janela vejo meu reflexo
e o reflexo dos outros fica para trás.
vidro
porcelana
plástico
ferro
Todos com braços,
pernas,
cabeça
e um coração.
Objetos que esquecem que possuem cérebro!

(14/04/2012)




_____________________________________

Porque a dor de cabeça, começa no coração, com a sensação de algo apertando e furando bem lá fundo, como se furar fosse sanar a dor abstrata do real. E talvez nem mesmo o dono dos corações, o tempo, possa realmente ajudar em algo. Essa sim, sempre será a eterna dúvida e espera.

(05/06/2012)


Um passo ????????????? E outro ??????? Outro ????? Outro ?????? ... ??? ... ??? ...
?????????? Depois outro ??????? E outro ????? Outro ????? Outro ??? ... ??? ... ??? ...


(29/02/2012)






"O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo."
"Insegurança é um sentimento mal-estar geral ou nervosismo que pode ser desencadeado pela percepção de si mesmo ser vulnerável de alguma forma, ou um senso de vulnerabilidade ou instabilidade que ameaça a própria autoimagem ou ego."





Está atrasado, marcou com os amigos as 22h. 
Ao chegar avista aquela que representa seu futuro, eles se olham.
Ele balança a cabeça, a cumprimentando, como se consentisse com a probabilidade do futuro.
Recíproco.

Ela chega e o observa chegar, ele chega depois das 22h, ele chega atrasado. 
Observa que ele se representa como seu futuro. Ela balança a cabeça, como se retribuísse o consentimento de um futuro juntos.
Recíproco.

Atrasados, se encontram depois das 22h, se cumprimentam como se consentissem com o futuro juntos, só esquecem que houve um passado e presente juntos,
o desejo de deletá-lo faz deles o futuro juntos.
Os erros começaram la, no passado...

AAH, como foi bom errar.

(14/04/2012)

ps: Para (L)