domingo, 28 de outubro de 2012

De seis em seis horas

É angustiante a sensação de perda. Perda de tudo. Você perde a vontade, a felicidade, parece perder a vida.
Mas é assim mesmo, assim funciona o sistema vital, de perdas. No concreto você continua perdendo, perde a fé, esperança, vontade, amor.
Tudo é como uma maresia. De seis em seis horas a maré enche e seca, acontecendo o mesmo movimento ida-volta duas vezes ao dia. A possibilidade de você se manter estável em meio ao movimento fica cada vez mais difícil e desesperador. Até que você entende o movimento marítimo, no entanto, você já quase se afogou, engoliu água salgada e já teve que nadar muito para se manter no raso.
Enfim, você consegue se adequar ao movimento, mas está exausto, cansado, tonto, e sem olhar para trás, sai da água. Esse momento, é o momento da morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário